Convite de casamento

Convite de casamento

Chamada

Já conseguiram imaginar antes da invenção da imprensa, como eram casamentos sem convites, já que não havia como dispersar informações em massa?
Lá pelo século XV – época em que o analfabetismo era generalizado – a prática de enviar convites de casamento surgiu entre a nobreza. As famílias ricas contratavam monges hábeis na arte da caligrafia e que trabalhavam assiduamente em manuscritos ricamente ilustrados. Muitas vezes, esses documentos levavam o brasão das armas ou o timbre pessoal do remetente e eram soldados com cera para garantir sua autenticidade.

Mb1

Por volta de 1600, com o surgimento da gravura, as coisas mudaram: um gravador era contratado para esculpir uma placa de metal para que os convites pudessem ser impressos. Como o processo era caro, a classe média em ascensão da época, podia se dar ao luxo não somente de ler, mas também encomendar e gravar seus convites.
Com o surgimento das máquinas durante a revolução industrial – por volta de 1700 – iniciou-se sua produção em massa.

Mb2

Já o envelope, foi criado a partir do momento em que os convites eram entregues por cavaleiros, já que não havia sistema de correio confiável na época e as noivas ficavam com medo de chegarem sujos aos seus convidados.

Hoje em dia, há quem mantenha a tradição e formalidade, entregando o convite em mãos.
Para alguns, é algo tão importante quanto o próprio casamento, já que através dele se tem a primeira impressão da festa e dados essenciais, como hora, local e traje a seguir.

Mb3

Há também os informais, que dependendo da decoração da festa e estilo dos noivos, utilizam desenhos, caricaturas, fitas, forrações, tags com nomes dos convidados para então transmitir os dados da cerimônia.
Criaram inclusive, o “save the date” – reserve a data, em português – mais comum nos EUA. Trata-se de um pré-convite, enviado alguns meses antes da cerimônia, para evitar que os convidados marquem outros compromissos no mesmo dia. Além dessa função, é uma maneira criativa e divertida de começar a envolver as pessoas no evento. Pode ser criado/enviado virtualmente, entregue em mãos ou via correio. O que vale, é deixar a imaginação do casal correr solta e divertir-se!

Mb4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *